segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Uma forma de olhar a pichação. O que você acha?


Pichação é arte?


pichação
Aviso Importante: Este texto não faz apologia ao crime, apenas se propõe a fazer uma análise de uma forma de expressão.
Tem gente que defente que pichação é apenas vandalismo, transgressão, mas a arte também tem lá o seu aspecto transgressor. Para outros o ato de pichar deve ser reconhecido como arte urbana contemporânea, subversiva, mas arte. A verdade é que a pichação sempre foi vista como forma de embate à tradição e os padrões impostos pela sociedade. Já foi forma de protesto, estando presente na Revolta Estudantil de 1968 e também foi amplamente grafada  no Muro de Berlin, assim como também já foi forma de demarcação de território de gangues nos Estado Unidos. Hoje é um dos aspectos mais presentes nas cidades, as pessoas gostando ou não.
Mesmo sendo considerada crime, a pichação é uma forma de expressão que dá um toque artístico aos contornos cinzas das metrópoles do mundo, principalmente em São Paulo. Inclusive a pichação brasileira, sobretudo a paulistana, é reconhecida internacionalmente, e diga-se de passagem valorizada na Europa, devido ao desenho singular da tipografia característica. O tipo conhecido como tag reto difundido em São Paulo é o grande representante deste estilo.
Em termos sociais a pichação é uma manifestação social urbana, e serve como recorte para entendermos o contexto das próprias cidades. É uma forma de expressão gráfica que reflete bem os espaços urbanos, suas peculiaridades e as vivências das urbes, e mesmo subversiva serve de recorte para refletirmos os limites das artes, pois o pichador como agente social propõe um novo significado ao espaço. A pichação não deixa de ser uma certa afirmação dos marginalizados da sociedade (marginalizados, não marginais), uma forma de protesto silenciosa e pacífica, mas que é efeito colateral de um sistema desigual.
Além de ser uma forma de expressão, a pichação também carrega uma alta dose ideológica, mesmo que esta se perca com o passar do tempo, mesmo que muitos pichadores não tenham consciência dela, mas é uma forma de gritar à sociedade que eles existem também, que não são invisíveis.
A arte não é apenas retrato do belo ou um mero combinar de técnicas, é também o despertar das emoções, das ideias e da reflexão. A arte também serve para rever conceitos e provocar mudanças comportamentais, mesmo que para isso tenha que incomodar os padrões existentes. Todo artísta tem o objetivo de causar alguma reação no espectador, quer incomodá-lo e despertar reações que este não está acostumado, e a pichação parece cumprir bem esse objetivo.
Não quero difundir a prática da pichação, não foi o meu objetivo  esse com esse post, mas que o leitor possa olhar de forma mais aberta este tipo de fenômeno social presente em nossas cidades. Como arte, cabe a interpretação de cada um, porém como expressão é inegável o seu significado.
Gostou do post e quer ver mais conteúdo de qualidade? Então curta a minha página no Facebook e o meu twitter.
Referências: Caderno de Tipografia Nº 3, Pichação é arte (Superinteressante) e Wikipédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.