segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Alunos do Nicão fazem bonito nos Jogos Escolares! Parabéns!!!

Futsal masculino.
3o. colocado!



Futsal feminino.
Vice campeão!



Basquete masculino.
3o. colocado!


Volei feminino.
3o. colocado!



terça-feira, 20 de agosto de 2013

Apostila de Biologia - Prof. Regina - 3o. colegial

Para baixar a apostila clique em:

Evolução Biológica

Depois clique em Download. Veja:


Depois clique em 4Priority Download. Veja:


Qualquer dificuldade, mande e-mail para andronicao@gmail.com e peça uma cópia por e-mail.


Ou leia direto no computador:




segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Uma forma de olhar a pichação. O que você acha?


Pichação é arte?


pichação
Aviso Importante: Este texto não faz apologia ao crime, apenas se propõe a fazer uma análise de uma forma de expressão.
Tem gente que defente que pichação é apenas vandalismo, transgressão, mas a arte também tem lá o seu aspecto transgressor. Para outros o ato de pichar deve ser reconhecido como arte urbana contemporânea, subversiva, mas arte. A verdade é que a pichação sempre foi vista como forma de embate à tradição e os padrões impostos pela sociedade. Já foi forma de protesto, estando presente na Revolta Estudantil de 1968 e também foi amplamente grafada  no Muro de Berlin, assim como também já foi forma de demarcação de território de gangues nos Estado Unidos. Hoje é um dos aspectos mais presentes nas cidades, as pessoas gostando ou não.
Mesmo sendo considerada crime, a pichação é uma forma de expressão que dá um toque artístico aos contornos cinzas das metrópoles do mundo, principalmente em São Paulo. Inclusive a pichação brasileira, sobretudo a paulistana, é reconhecida internacionalmente, e diga-se de passagem valorizada na Europa, devido ao desenho singular da tipografia característica. O tipo conhecido como tag reto difundido em São Paulo é o grande representante deste estilo.
Em termos sociais a pichação é uma manifestação social urbana, e serve como recorte para entendermos o contexto das próprias cidades. É uma forma de expressão gráfica que reflete bem os espaços urbanos, suas peculiaridades e as vivências das urbes, e mesmo subversiva serve de recorte para refletirmos os limites das artes, pois o pichador como agente social propõe um novo significado ao espaço. A pichação não deixa de ser uma certa afirmação dos marginalizados da sociedade (marginalizados, não marginais), uma forma de protesto silenciosa e pacífica, mas que é efeito colateral de um sistema desigual.
Além de ser uma forma de expressão, a pichação também carrega uma alta dose ideológica, mesmo que esta se perca com o passar do tempo, mesmo que muitos pichadores não tenham consciência dela, mas é uma forma de gritar à sociedade que eles existem também, que não são invisíveis.
A arte não é apenas retrato do belo ou um mero combinar de técnicas, é também o despertar das emoções, das ideias e da reflexão. A arte também serve para rever conceitos e provocar mudanças comportamentais, mesmo que para isso tenha que incomodar os padrões existentes. Todo artísta tem o objetivo de causar alguma reação no espectador, quer incomodá-lo e despertar reações que este não está acostumado, e a pichação parece cumprir bem esse objetivo.
Não quero difundir a prática da pichação, não foi o meu objetivo  esse com esse post, mas que o leitor possa olhar de forma mais aberta este tipo de fenômeno social presente em nossas cidades. Como arte, cabe a interpretação de cada um, porém como expressão é inegável o seu significado.
Gostou do post e quer ver mais conteúdo de qualidade? Então curta a minha página no Facebook e o meu twitter.
Referências: Caderno de Tipografia Nº 3, Pichação é arte (Superinteressante) e Wikipédia.

Atenção professores: Informações sobre prova de promoção do magistério.

Divulgadas datas da prova de promoção do magistério. Confira orientações para o exame

Categoria
Avaliações serão aplicadas nos dias 25/8 e 1/9, nos municípios sede das 91 diretorias de ensino
As provas do processo de promoção do Quadro do Magistério acontecerão nos dias 25 de agosto e 1º de setembro. As datas, assim como outras orientações aos candidatos inscritos, foram divulgadas nessa sexta-feira (16), no Diário Oficial do Estado. Confira aqui o edital de convocação na integra.
O exame será aplicado nos municípios que abrigam as sedes das 91 diretorias de ensino da Educação. A confirmação do local, horário, data e turma na qual o candidato realizará a avaliação será divulgada no site da Fundação VUNESP. 
No dia 25 de agosto, devem realizar a prova, às 8h, os professores que atuam nos anos iniciais do Ensino Fundamental e os docentes de disciplinas em extinção. No mesmo dia, às 14h, deverão se apresentar para o exame os integrantes do suporte pedagógico e os educadores da Educação Especial.
Já no dia 1º de setembro, fazem a prova os professores das disciplinas de Língua Portuguesa, Inglês, Alemão, Espanhol, Francês, Italiano, Arte, Educação Física, Matemática, Ciências Físicas e Biológicas, Biologia, Física, Química, História, Geografia, Filosofia, Sociologia e Psicologia, que atuam nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio.
Nas datas indicadas, o candidato deverá comparecer ao local de prova com antecedência mínima de uma hora, portando documento de identificação, caneta esferográfica de corpo transparente de tinta azul ou preta, lápis nº 2 e borracha.
Conteúdo
A avaliação será composta por 60 questões de múltipla escolha e uma questão dissertativa, cada uma das etapas será avaliada de 0 a 10 pontos. As notas da parte objetiva e dissertativa do exame serão somadas para a obtenção da média aritmética, que será considerada a nota do candidato.
Os educadores que pretendem evoluir da faixa 1 para a faixa 2 da escala de vencimentos deverão atingir ao menos seis pontos para serem considerados aprovados. Já aqueles que desejam a promoção da faixa 3 para a faixa 4 deverão conquistar nota igual ou superior a sete.  
Confira a definição dos perfis de competência e habilidades requeridos para os servidores da rede estadual, como também a bibliografia de referência para todos os campos de atuação estabelecidas na Resolução SE 70, de 26-10-2010 e na Resolução SE 13, de 3/3/2011, bem como a emenda constante da Resolução SE 37, de 07/06/2013.
*Atualizada em 16/8, às 16h03

Atenção professores e funcionários: já estão abertas as inscrições para o curso gratuito de inglês!

Abertas as inscrições para servidores interessados em cursar o Inglês Online

Categoria
O cadastro deve ser realizado até o dia 9 de setembro, por meio da página do curso
O curso Inglês Online já recebe as inscrições dos servidores da rede estadual paulista interessados em aprender o idioma em uma plataforma virtual e inovadora. O cadastro deve ser realizado até o dia 9 de setembro. As aulas a distância começam no dia 12 do mesmo mês.
As inscrições, abertas para professores, diretores, agentes de serviço e de organização escolar, devem ser realizadas por meio da nova página do curso. No site é possível conferir as orientações para o cadastro, além de consultar o regulamento e outras informações sobre o curso.
- Faça aqui a sua inscrição
São oferecidas 300 mil vagas para os profissionais da Educação. “Os servidores terão a possibilidade de conhecer um novo idioma, que é o Inglês, uma língua extremamente importante para aqueles que atuam na área da Educação. O curso é extremamente lúdico e irá agregar muito valor à formação das pessoas”, comenta o secretário da Educação, Herman Voorwald.  

Curso
O curso é composto de 90 horas, divididas em duas etapas de 45 horas cada. Cada etapa é composta de quatro módulos, sendo o total de oito módulos, correspondendo a quatro meses de duração. As aulas são oferecidas pela Escola Virtual de Programas Educacionais (EVESP) e pela Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores (EFAP). Ao final da formação, os servidores conquistarão certificado.
A oferta do curso Inglês Online para servidores será continua e novas inscrições deverão ser abertas todos os semestres.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Site mostra como a cidade de São Paulo pode ajudar estudantes a se prepararem para o Enem

O intuito é incentivar o estudo além dos livros

Reprodução
Reprodução
Site destaca 10 lugares da cidade que podem ajudar o estudante a se preparar para o Enem
O Estação Curiosidade incentiva uma nova maneira de se preparar para o Enem. O site é um roteiro de estudo interativo e apresenta 10 lugares de São Paulo que podem ser fundamentais para quem vai prestar o exame.
Ao passear virtualmente pelos locais, o estudante tem acesso a informações que facilitam a compreensão da relação do lugar com o preparo para o Enem. Além disso, é possível responder questões de edições anteriores da prova.
Com isso, o site visa estimular os internautas a visitarem presencialmente os lugares e aproveitarem melhor o que cada um tem a oferecer.
MaspMuseu da Língua PortuguesaInstituto Butantan e Centro Cultural São Paulo são alguns dos pontos destacados pelo site.
O projeto foi desenvolvido por Tadeu da Ponte, um matemático formado pela USP que decidiu investir seu tempo e seu conhecimento em empreendedorismo educacional.
Tadeu é fundador da Primeira Escolha, organização especializada em seleção de pessoas, avaliação educacional e tecnologia e desenvolvedora do Estação Curiosidade. “Queremos mostrar aos estudantes que o Enem está muito mais próximo do nosso dia-a-dia”, explica.
Acesse e aproveite:



Alunos do 3o. ano: Palestras gratuitas sobre os livros da Fuvest!

Encontros acontecem aos domingos

reprodução
reprodução
Uma das obras da lista da Fuvest é “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis
Entre agosto e outubro, o Cursinho Popular, em São Paulo, promoverá uma série de palestras gratuitas sobre os livros da lista obrigatória do vestibular da Fuvest deste ano. Os eventos ocorrem sempre aos domingos, a partir das 14h.
Os livros abordados serão, respectivamente: “Viagens na Minha Terra”, de Almeida Garrett (18 de agosto); “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida (25 de agosto); “Til”, de José de Alencar (1º de setembro); “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis (8 de setembro); “O Cortiço”, de Aluísio Azevedo (15 de setembro); “A Cidade e as Serras”, de Eça de Queirós (22 de setembro); “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos (6 de outubro); “Capitães da Areia”, de Jorge Amado (13 de outubro); e “Sentimento do Mundo”, de Carlos Drummond de Andrade (20 de outubro).
As inscrições podem ser feitas pelo telefone (11) 3258-1436. Mais informações pelo site do Cursinho Popular.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Bom retorno!!!



Olá pessoal! Descansaram? Esvaziaram a cabeça???

Agora vocês estão na reta final! O segundo semestre vai ser mais puxado, hein? É necessário, portanto, mais organização e determinação para melhorar as notas e não reprovar no final do ano!

Pesquisei alguns sites que apresentam dicas para se dar bem nos estudos. Aproveitem!
Basta clicar nos links abaixo e boa leitura!