sexta-feira, 13 de abril de 2012

Texto - Prof. Vasco (Biologia)


ECOLOGIA

A origem da palavra é OIKOS  =  casa,  e  LOGOS  =  estudo.


HIPOTESE DE GAIA



A Ecologia estuda tanto as relações entre os seres vivos como as relações dos organismos com o meio ambiente que estão inseridos.

Isto por que o meio ambiente exerce grande influencia sobre os seres vivos e, ao mesmo tempo, é modificado por eles, num pingue-pongue constante. Vejamos dois exemplos:

                                                                                                                                               
Na floresta amazônica o tipo de planta que consegue crescer no solo depende de quanta luz chega até ela, por sua vez a quantidade de luz que alcança o chão da floresta depende das arvores de copa alta, outros seres vivos do mesmo ambiente, assim enxergamos a trama das relações, organismos vivos (arvores de copa alta) interferem num fator não vivo (luz) que exerce influencia sobre outros organismos vivos (plantas de solo).

Outro exemplo é a concentração de oxigênio de uma lagoa, como o oxigênio é produzido por algas no processo da fotossíntese sua concentração na lagoa é diferente de dia e a noite dependendo, portanto da presença ou ausência de luz.

Neste caso a luz que é um fator não vivo interfere no metabolismo das algas, seres vivos, que por sua vez produzem oxigênio (outro fator não vivo) em maior ou menor quantidade.

A idéia da importância destas inter-relacoes foi levada ao extremo pelo cientista inglês James Lovelock, que na década de 1970, elaborou a hipótese de GAIA, segundo a qual o planeta Terra se comporta como um só organismo vivo. Esse superorganismo segundo Lovelock tem a capacidade de regular seu clima e sua temperatura, de eliminar seus detritos e combater suas próprias doenças. Nossa Biosfera conseguiria assim se auto regular e manter-se saudável, por meio do controle do ambiente físico e químico.

A Terra segundo esta idéia, seria um super ecossistema com muitos mecanismos de regulação e homeostase nos quais os microorganismos teriam um papel importante, estes moderariam as temperaturas extremas e manteriam constante a composição da atmosfera e oceanos.

A vida logo depois de ter surgido, mais de 3 bilhões de anos atrás teria em seguido começado a controlar as condições do planeta. Um dos argumentos utilizados pelos defensores da hipótese de Gaia é o fato de que a composição atmosfera, hoje, parece depender principalmente dos seres vivos. No passado a mudança na composição do ar teria se iniciado com a atividade de microorganismos. A fotossíntese, por exemplo, teria feito diminuir a taxa de Gás Carbônico (CO2) do ar e aumentar a do Oxigênio (O2), isto teria possibilitado num segundo momento a sobrevivência de organismos aeróbicos, isto é que utilizam o oxigênio para respirar.

A redução gradual do CO2 da atmosfera por sua vez favoreceu o resfriamento do planeta, como se sabe o CO2 tem um papel importante no efeito estufa e, portanto nas temperaturas da Terra.
A taxa de oxigênio na atmosfera se mantem constante a milhões de anos; isto por que se estabeleceu um equilíbrio entre sua produção, pela fotossíntese, e seu consumo, pela respiração das plantas e animais.

Em ultima análise, segundo a hipótese de Gaia, a biosfera seria um sistema altamente integrado e de controle muito preciso, esse controle, no entanto não seria externo com o termostato que controla a temperatura de uma geladeira, mas sim interno, próprio, envolvendo centenas de milhares de mecanismos de feedback e de interações diversas.

A hipótese de Gaia não afirma que a Terra interia seja viva, ou que esteja dirigindo conscientemente suas própria atividades, como o próprio Lovelock sugeriu, a teoria de Gaia poderia ser comparada a uma arvore que é constituída por 99% de cortiça e madeira, matéria morta.

A arvores se mantem viva por interações entre sua pequena porção viva e suas partes mortas, e por interações dela mesma com o ambiente externo.

Por analogia, a Terra consiste, na sua quase totalidade de matéria não viva recoberta por uma finíssima película de vida, a BIOSFERA, que interage com a parte não viva regulando o conjunto.

Embora a idéia de considerar a Terra com um superorganismo seja sedutora e de grande apelo a maioria dos ecólogos reluta em aceitar a hipótese de Gaia. Há muitos argumentos contrários.

Por exemplo, os eventos geológicos no passado, como cometas se chocando contra a Terra, erupções vulcânicas de grande porte e glaciações que ocorreram de tempos em tempos, modificaram profundamente o aspecto do planeta, o que não esta de acordo com a noção de uma homeostase realizada principalmente pelos seres vivos.

Os fatores geológicos também moldam o planeta, e não apenas os biológicos.

No entanto a hipótese de Gaia tem o mérito de chamar atenção para delicados equilíbrios que regem a vida na Terra e para a necessidade de estuda-los e conhece-los melhor, a fim de interferirmos neles o mínimo possível.


Considerando os seres vivos temos varias maneiras de estuda-los, uma das mais usadas se trata de como os seres vivos se organizam, assim temos, NIVEIS DE ORGANIZACAO DOS SERES VIVOS, partindo do mais simples até o mais complexo é assim apresentado:



célula----tecido----órgão----sistema----organismo----população----comunidade----ecossistema--

                  

biosfera  (talassociclo, limnociclo, epinociclo).




Definindo cada termo,

Célula,   unidade estrutural e funcional de todo ser vivo, exceto vírus.


Tecido,   conjunto de células iguais e de mesma função, exemplo: pele.


Órgão,   conjunto de tecidos, exemplo: coração.


Sistema,   conjunto de órgãos trabalhando sincronizadamente para um objetivo, ex: circulatório.


Organismo,   conjunto de sistemas formando um individuo completo, ex: homem.


População,   conjunto de indivíduos da mesma espécie vivendo numa determinada área, ex:
                     esquimós.


Comunidade,   conjunto de populações e suas inter-relações.


Ecossistema,   conjunto das populações (seres vivos) mais o meio ambiente (físico, químico) que
                       tais seres vivos estão inseridos.


Biosfera,   conjunto dos ecossitemas, qualquer lugar do planeta que exista ou possa existir vida.
                 A biosfera esta dividida em 3 grandes Biociclos são eles:

Talassociclo – biociclo das águas salgadas.

Limnociclo – biociclo das águas doces.

Epinociclo – biociclo das terras secas.
  

Outras definições muito usadas em Ecologia:


Habitat,  é o endereço de uma espécie, exemplo  Mico Leão Dourado tem como seu habitat
                natural a Mata Atlântica.


Nicho Ecológico,  é o papel que o individuo desempenha em seu habitat, exemplo o leão vive na
                             Savana africana como predador maximo. Assim alem do endereço dizemos
                              Qual o papel que tal individuo desempenha onde mora.



Ecotono,  área de transição entre duas comunidades, exemplo, entre a Mata Atlântica e o Mar
                Temos o estuário (mangue), Cerrado, Carnaubais, etc.



Espécie,   conjunto de indivíduos semelhantes, com capacidade de reprodução em ambiente
                natural gerando descendentes férteis.


Bioma,   denominação utilizada em espaços dentro de um Ecossistema, exemplo, a comunidade de
              Uma floresta, dentro de uma determinada área.




ECOSSISTEMA


Uma definição mais técnica é:

                                              Conjunto de fatores Bióticos e Abióticos, que num determinado meio trocam matéria e energia.


Fatores Bióticos  =  sistema formado por comunidade de seres vivos.


Fatores Abióticos  =  fatores do meio ambiente, físicos e químicos, com suas inter-relações.


O Ecossistema não é apenas a soma dos seres vivos e fatores Abióticos, mas sim uma enorme inter-relação dos seres vivos e não vivos.


Componentes Bióticos de um Ecossistema



Estes componentes estão estruturados em 3 grandes grupos: Produtores, Consumidores e Decompositores.


Produtores  =  seres que a partir de compostos inorgânicos simples, fabricam compostos orgânicos.

Há dois tipos:   Quimiossintetizantes   e    Fotossintetizantes.


Quimiossintetizantes – obtém energia através de substancias inorgânicas por meio de reações
                                   Químicas (oxidações). Com a energia obtida sintetizam compostos orgânicos.

Exemplos, bactérias que oxidam o gás Sulfidrico (H2S) denominadas Sulfobacterias, a partir do
(H2S) produzem enxofre livre e libertam energia. Ferrobacterias que oxidam compostos de ferro, Nitrobactérias oxidam compostos com Nitrogênio, hidrobacterias oxidam a água.



Fotossintetizantes – constituídos por vegetais verdes, sintetizam compostos orgânicos a partir de
                               inorgânicos na presença de luz.

O pigmento clorofila absorve energia luminosa do sol, é responsável por quase toda produção de matéria orgânica do planeta. O processo é a Fotossíntese.

Estes seres (quimio e fotossintetizantes) por seres auto suficientes em produzir seu alimento através de substancias inorgânicas são denominados de AUTÓTROFOS.



Consumidores  pela incapacidade de fabricar seu próprio alimento, o buscam junto aos produtores
                            são ditos heterótrofos por não produzirem seu alimento.

Estão divididos em: primários, secundários, terciários....

Primários = quando se alimentam diretamente dos produtores, são herbívoros (gafanhotos, coelhos).


Secundários = se nutrem dos consumidores primários, são carnívoros como cobras e lagartos.


Terciários = se alimentam dos secundários, falcões, onças.



Decompositores  se alimentam de cadáveres em decomposição, degradam substancias
                               orgânicas liberando substancias inorgânicas, assim novamente podem ser utilizadas pelos produtores, isto é que impede a falta de substancias inorgânicas.

São fungos e bactérias.



Fatores Abióticos dos Ecossistemas



Água  -  componente essencial dos seres vivos, variando conforme a espécie. No homem 65%, em
              uma medusa 98%.

   Quanto à necessidade da água os organismos podem ser classificados como:


Hidrófilos, Higrófilos, Mesófilos e Xerófilos.


Hidrófilos  -  organismos que vivem permanentemente na água, peixes, equinodermos, cnidários,
                     Poríferos e a maioria dos moluscos e crustáceos. Em plantas temos o golfo e a Vitória regia.


Higrófilos  -  organismos que vivem em ambientes úmidos, anfíbios, crustáceos, minhocas, vermes
                     Moluscos. Em plantas temos as briófitas e traqueófitas.



Mesófilos  -  organismos que moderadamente necessitam de água, plantas cultivadas e a maioria dos
                     Animais superiores.



Xerófilos  -  organismos que vivem em regiões bastante deficientes em água. Entre os animais muitos
                    Répteis e alguns artropodas. Nos vegetais temos as cactáceas que possuem aqüíferos que é um tecido especial para armazenamento de água.


                                                                                                                      

Aquisição de água pelos seres vivos



Por via digestiva, bebida ou contida em alimentos.

Através do tegumento em espécies aquáticas.

Processos de oxidação de compostos orgânicos, 1g de glicose forma 0,6g de água. Processo este utilizado pelos dromedários e animais que vivem em desertos.

Vegetais absorvem água do solo pelos sistemas radiculares.



Eliminação de água pelos seres vivos



Transpiração, tegumento nos animais e superfície foliar nos vegetais.

Evaporação, respiração.

Excreção urinaria.

Dejeções.

A perda excessiva de água é controlada nos vertebrados terrestres por uma proteína existente na pele denominada Queratina, esta é altamente impermeabilizante. Nos insetos há o exoesqueleto de quitina.

Nos vegetais pela presença de uma cutícula espessa chamada cutina, isto na superfície foliar, pela redução das folhas ou ainda transformação destas em espinhos (cactos).

Répteis, insetos e moluscos terrestres possuem urina rica em uratros sólidos que são eliminados sem grande quantidade de água.

Nos dromedários e camelos o teor de água no organismo é baixo, pois oxidam as gorduras da corcova, reduzem a excreção urinaria e não transpiram.


Salinidade  Em água doce o sal é de baixa concentração, 05% por litro, no mar a concentração chega a 35% por litro.

Dos sais os mais importantes são os carbonatos, sulfatos e cloretos combinados a cátions de sódio, magnésio, cálcio e potássio, são utilizados por moluscos e crustáceos na elaboração de conchas e exoesqueleto.
Alguns sais são importantes na regulação do teor de água de peixes e outros animais marinhos.


Temperatura  Em geral os seres vivos subsistem em temperaturas de 0 a 50 graus Celsius, mas existem excessoes.

Alguns pinheiros suportam temperaturas bem abaixo de 0 graus, certas algas azuis habitam regiões superiores a 80 gruas Celsius, em águas termais existem bactérias que suportam 90 graus.

Os esporos (fungos) e de certas bactérias suportam temperaturas acima de 120 graus.

A temperatura atua como fator limitante na distribuição geográfica dos seres vivos.

Quanto à temperatura os corpos dos animais estão divididos em Homeotermos e Heterotermos.

Homeotermos = temperatura constante em ralação ao meio, aves e mamíferos.

Heterotermos (pecilotermos) = temperatura corpórea varia conforme a temperatura do meio, animais                               
                                               ditos de sangue frio, répteis, anfíbios e peixes.



Luz   indispensável para a fotossíntese:



12H2O  +  6CO2  +  Luz----------------C6H12O6  +  6H2O  +  6 O2


Em ecologia a luz é considerada em: Intensidade, Qualidade e Tempo de Exposição.


Intensidade, à medida que aumenta a intensidade luminosa aumenta o rendimento da fotossíntese, ate certo valor, pois, a partir de certa intensidade da luz a fotossíntese se estabiliza.

A fotossíntese e a respiração estão muito interligadas, quando relacionamos os dois processos determinamos o ponto de compensação da planta. Isto é, a intensidade luminosa na qual a intensidade da fotossíntese é igual à respiração.



12H2O  +  6CO2  +  Luz---------------C6H12O6  +  6 O2  +  6H2O  (fotossíntese)



C6H12O6  +  6 O2---------------6CO2  +  6H2O  +  Energia   (respiração).




O Ponto de Compensação, todo o oxigênio produzido pela fotossíntese é consumido pela respiração e todo gás carbônico produzido na respiração é consumido na fotossíntese.



Plantas Heliófilas, (de sol) recebem quase 100%  da intensidade luminosa, assim o Ponto de Compensação é alto.

Plantas Umbrófilas, (de sombra) não dispõe de alta taxa de luminosidade, assim o Ponto de Compensação é mais baixo.



Qualidade de Luz, as plantas de terra absorvem todos os comprimentos de onda, principalmente do vermelho ao azul violeta.

Em lagos profundos a luz verde é quem penetra, encontra algas Rodofíceas, que absorvem tais radiações e realizam fotossíntese.

Tal luz verde é absorvida pelo pigmento vermelho Ficoeritrina.

A qualidade da luz influi na percepção das cores de pássaros insetos e primatas, quanto aos outros animais a percepção de cores não esta totalmente esclarecida.



Tempo de Exposição de luz, (fotoperiodismo), nos vegetais promove e controla a floração e o desenvolvimento de gemas, brotos e quedas de folhas.

Fotoperiodismo, é o tempo de duração do dia em relação a noite.

No verão o dia é mais longo que à noite, no inverno o dia é mais curto que a noite.

Algumas plantas necessitam de dias longos para florear, é o caso de milho, espinafre, trigo, o fotoperiodo destas é critico, abaixo do qual não florescem.

Tabaco, soja, crisântemo de dias curtos, só florescem abaixo do seu fotoperiodo critico.

Há plantas que são indiferentes ao fotoperiodismo, é o caso do tomateiro.

O fotoperiodismo influi na reprodução de alguns animais.

A maioria dos pássaros se reproduzem no outono, fotoperiodo de dias curtos.

Alguns mamíferos (ruminantes) também se reproduzem em dias curtos.

Por outro lado, carnívoros se reproduzem em dias longos.




FLUXO DA MATÉRIA E ENERGIA NOS SERES VIVOS


Absorção e aproveitamento da energia pelos seres vivos.

Já vimos que a fotossíntese é o processo que faz com que os vegetais verdes na presença de luz juntos com H2O  e  CO2  fabriquem açucares e oxigênio.

Em outras reações posteriores serão produzidos outros compostos orgânicos como gorduras e proteínas.

Estes compostos são em parte armazenados e outra parte utilizados pela planta ( pelos seres herbívoros), na respiração a energia contidas nestes compostos terá as seguintes funções:


-         manterá constante a renovação dos tecidos.

-         nos organismos móveis garantirá estas atividades.

-         crescimento e desenvolvimento.

-         formara reservas alimentícias, glucídios nos vegetais e lipídeos nos animais.



Cadeias Alimentares


A denominação Cadeia Alimentar se deve a que um individuo se alimenta do outro.

A roseira produz alimentos que ficam armazenados em suas folhas, esta é comida por um herbívoro (gafanhoto), e este é comido por um carnívoro (louva-Deus). Depois de mortos os produtores de alimento e os consumidores, são decompostos por bactérias e fungos (decompositores).



Produtor----Herbívoro----Carnívoro----Decompositores



Umas partes dos compostos orgânicas produzidas são usadas pelo próprio vegetal (divisões celulares, reações metabólicas, transportes).

Ao comer, o herbívoro recebe apenas o restante destas substancias e a energia que estas contem.

Se um carnívoro comer o herbívoro recebera apenas uma parcela da matéria e energia contida no produtor, isto por que a outra parte foi utilizada pelo próprio animal (herbívoro) em atividades como crescimento ou eliminados com dejetos.

Portanto a transferência de matéria e energia de um ser para outro sempre haverá uma porção perdida.

Considerando a matéria e a energia, a organização se dá em forma de pirâmide, cada nível da pirâmide denomina-se Nível Trófico.

A matéria resultante da degradação, de efeito dos decompositores, é reaproveitada pelos produtores. Portanto os decompositores permitem a reciclagem da matéria impedindo seu esgotamento na natureza.

Somente a energia não é reaproveitada, perdendo-se de um Nível Trófico para outro em forma de calor.

O ecologista Eugene Odum calculou que são necessários 20 milhões de pés de alfafa para sustentar 4,5 bezerros que por sua vez poderiam servir de alimento para um ser humano de 12 anos.

É a lei dos 10% que mostra nitidamente a desvantagem de dietas ricas em carne.

Comendo carne bovina aproveitamos apenas 10% do alimento que ele assimilou ao comer o vegetal; em outras palavras aproveitamos apenas 1% da matéria e energia deste alimento.

As cadeias alimentares se encontram entrelaçadas formando as Teias Alimentares.


Em ecossistemas aquáticos o produtor é o Fitoplancton (algas flutuantes), o consumidor primário é o zooplancton (protozoários e microcrustaceos de superfície), consumidores secundários são os pequenos peixes, outros consumidores peixes maiores, aves e homem.



PIRAMIDE DE BIOMASSA E ENERGIA


Uma cadeia alimentar formada por predadores.

Algas------Microcrustaceos------Peixes------Aves


Muitas algas servem de alimento a um único microcrustaceo. Muitos microcrustaceos servem de alimento a um único peixe. Muitos peixes servem de alimento para uma única ave.

Assim representamos os niveis tróficos desta cadeia em superposição de retângulos em forma de pirâmide.



Se considerarmos uma cadeia de parasitas teremos uma pirâmide invertida.


Limeira------Pulgões------Protozoários


Uma única limeira serve de alimento a centenas de pulgões, cada pulgão é parasitado por dezenas de protozoários.


É por isto que em ecologia é melhor considerar pirâmides de biomassa e energia, pois, elas fornecem melhores condições para analisarmos o fluxo da matéria e energia nos ecossistemas.


Consideremos agora a seguinte Cadeia Alimentar.


Vegetais------Insetos------Pássaro------Águia


Supondo que 20.000g de vegetais sirva de alimento a insetos.

Uma média de 2.000g desta biomassa serão incorporados pelos tecidos destes insetos, o restante será dejeto e utilizado no metabolismo.

Da mesma forma 200g da biomassa dos insetos comidos pelos pássaros integrarão seus tecidos.

Se o pássaro for comido por uma águia apenas 20g serão incorporados aos tecidos desta águia.

Assim é a pirâmide de biomassa.

A pirâmide de energia tem forma semelhante, suas unidades são dadas em calorias.



CICLOS BIOGEOQUIMICOS



Todos elementos químicos circulam na biosfera por caminhos específicos, dos organismos ao ambiente e vice-versa.

CICLO DO NITROGENIO


Sabemos que Proteínas e Ácidos Nucléicos são substancias fundamentais para os seres vivos, apresentam Nitrogênio em sua composição.

Apesar do Nitrogênio corresponder 78% da atmosfera não pode ser aproveitado pelos seres vivos na forma de  N2  (N---N). 
                                                                                          _                              _  
Seu aproveitamento só é possível na forma de Nitritos  NO2     e de Nitratos  NO3.

Para isto a própria natureza os transforma por fixação que pode ser Biótica ou Abiótica.

Fixação Biótica do Nitrogênio (transformação do nitrogênio em amônia) é realizada por microorganismos que vivem no solo (bactérias e algumas algas azuis), ou por bactérias que vivem em nódulos de raízes de leguminosas.


N2 (N---N)  +  3H2  +  6e------------2NH3  (amônia)


No processo Abiótico de fixação de N2 ao invés de utilizar energia do ATP utiliza energia dos
                                                                                        _           _            
 relâmpagos e raios cósmicos transformando  N2  em  NO2  e  NO3.


A Amônia chega ao solo também como produto de excreção de muitos animais. Após a fixação bactérias do gênero Nitrosomonos e Nitrobacter realizam a Nitrificação, que é a transformação da Amônia em Nitritos (nitrosacão) e Nitratos (nitratacão).


NITROSOMONOS

                                                                             +     _
2NH3  +  3 O2--------------2HNO2  +  2H2O  +  Energia



NITROBACTER

                           +     _
HNO2   +   ½  O2--------------HNO3   +   Energia



Nitritos e Nitratos por mecanismos de troca iônica fazem parte de muitos sáis.

Por atividades metabólicas da planta os Nitratos são utilizados na síntese de proteínas e ácidos nucléicos.

Algumas bactérias (desnitrificantes) que vivem nos solos como as Saprofitas, decompõe animais e vegetais mortos devolvendo assim o nitrogênio à atmosfera, fecham assim o ciclo.

O principal gênero de bactérias que vivem em nódulos de raízes de leguminosas é Rhizobium.
A bactéria fixadora que vive no solo é do gênero Azobacter.

Na agricultura a alternância de cultura de leguminosas com plantas de outras famílias garante sempre a presença de Nitrogênio no solo. Enquanto as não leguminosas extraem o Nitrogênio do solo as leguminosas o repõe.
                                                 


CICLO  DO  CARBONO


Grande parte do Carbono é encontrado na Terra em forma de compostos inorgânicos (carbonatos), ou depósitos orgânicos como fosseis (carvão petróleo). Somente uma pequena parte é encontrado sob a forma de Dióxido de Carbono  (CO2).

A fixação do CO2 é feita pelos vegetais fotossintetizantes.


12H2O  +  6CO2  +  Luz--------------------C6H12O6  +  6 O2  +  6H2O


Através da Cadeia Alimentar estes açucares passam aos Consumidores e decompositores.

A Respiração e Decomposição dos seres vivos devolve o CO2 a atmosfera.


C6H12O6   +   6 O2----------------------6H2O  +  6CO2   +  Energia



Através de combustões (madeira, lixo, carvão, petróleo), o CO2, também retorna a atmosfera.



CICLO DA AGUA


Cerca de 97% da água da hidrosfera corresponde aos oceanos, o restante 3% corresponde a água doce (geleiras, rios, lagos, atmosfera e seres vivos).

Por ação de raios solares parte desta água se evapora dando origem as nuvens.

Na precipitação (chuvas) a água se escoa pelo solo formando rios e lagos que deságuam nos oceanos, parte desta água se infiltra nos solos formando o lençol freático ou emerge através de nascentes ou poços artesianos.



CICLO  DO  OXIGENIO



O oxigênio é encontrado como O2 na atmosfera e hidrosfera como produto da fotossíntese.

Este oxigênio é utilizado na Respiração Celular como aceptor final dos hidrogenios na Cadeia Respiratória formando a água.

Esta água pode ser utilizada no metabolismo e eliminado na respiração, transpiração, excreção assim volta à atmosfera.

Nos vegetais esta água é aproveitada na síntese de Carbohidratos (CH2O  açucares).

Desta forma o oxigênio se torna livre do hidrogênio voltando à atmosfera e o ciclo se repete.

Há ainda o Ozônio ( O3 ), que se converte em oxigênio  O2  sobre a ação de radiações ultra violetas.

O C F C (clorofluorcarboneto) destrói a camada de Ozônio provocando o buraco nesta camada
(antártida e polos)



RELAÇÕES  ENTRE  OS  SERES  VIVOS



Os seres vivos se relacionam Harmonicamente quando ninguém sai prejudicado e Desarmonicamente quando um dos associados sai prejudicado.

Quando as relações são com indivíduos da mesma espécie dizemos que é uma relação Intraespecifica, indivíduos de espécies diferentes relação Interespecifica.


As principais são:


Harmônicas Intraespecificas:   Colônias e Sociedades.

                   Interespecificas:   Mutualismo, Comensalismo, Inquilinismo e Foresia.




Desarmônicas Intraespecificas:   Canibalismo e Competição.
      
                     
                      Interespecificas:   Predatismo, Parasitismo, Competição, Amensalismo e                                                   
                                                 Esclavagismo.



RELAÇÕES  HARMONICAS


COLONIAS,  Relação entre indivíduos da mesma espécie, unidos fisicamente entre si, ou, por meio de formações especiais, exemplos, algas, bactérias, cnidários.

Na colônia pode haver indivíduos com atividades aonde o trabalho é dividido, é o caso da Caravela
Physalia caravela, onde alguns se especializam na reprodução e outros na nutrição e defesa da colônia.
Também podem apresentar indivíduos independentes, é o caso das bactérias (diplococos, estreptococos), corais.


SOCIEDADE,  grupo de indivíduos da mesma espécie, não ligados anatomicamente, se agrupam
para a divisão de trabalho, portanto, organizados de modo cooperativo, exemplos, formigas, cupins.


MUTUALISMO, associação entre dois seres vivos de espécies diferentes na qual os dois são beneficiados, há pouco tempo esta associação era chamada de Simbiose.
Algumas bactérias que vivem na Pança de ruminantes secretando enzimas (celulase) que hidrolizam a celulose em glicose.
Liquens é uma associação de algas e fungos, alga é fotossintetizante e o fungo fornece materiais para que a fotossíntese ocorra e beneficie os dois.


COMENSALISMO,   relação entre dois animais entre espécies diferentes na qual um deles se alimenta das sobras da alimentação do outro, tubarão rêmora, leão hiena.


INQUILINISMO,   relação entre dois animais de espécies diferentes, um individuo utiliza o outro como moradia isto sem parasita-lo, é o caso das epífitas vegetais que vivem sobre outros para captação de luz (bromélias), peixes que vivem dentro de equinodermos (fierasfer/ holoturias).


FORESIA,   indivíduos que se utilizam do outro para locomoção, é o caso das cracas, geralmente se fixam em baleias para se locomoverem.




RELAÇÕES  DESARMONICAS



CANIBALISMO,   individuo mata e devora outro da mesma espécie, muito com em aranhas, insetos, e alguns peixes.


PREDATISMO,   relação entre dois seres vivos de espécies diferentes em que um deles se beneficia matando o outro, tamanduá alimentando-se de formigas, carnívoros comendo herbívoros.

Muitas vezes o predador tem dificuldades em encontrar sua presa, pois estas adquirem forma e cor igual ao ambiente em que vivem (camuflagens), isto ocorre com pássaros, sapos, lagartos e insetos como o bicho pau, que se parece com um galho seco de um arbusto.

Alguns anfíbios e lagartos possuem células pigmentadas denominadas cromatóforos o que lhes permite mudar de cor (camaleão).

A estes processos denomina-se MIMETISMO.

Há casos em que a própria estrutura da presa dificulta sua destruição pelo predador, é o caso das tartarugas com sua carapaça, espinhos do ouriço, animais com glândulas de odor forte e urticante.

O Predatismo é um fator limitante para o crescimento das populações.


PARASITISMO,   associação entre dois seres vivos de espécies diferentes na qual o parasita tira proveito as custas da matéria viva do hospedeiro, o hospedeiro é para o parasita habitat e fonte de alimento.
O parasita pode intoxicar, deformar e ate matar o hospedeiro.

Pulgas carrapatos, piolhos, sangue-sugas, agem externamente no hospedeiro, por isto são chamados de Ectoparasitas.

Tripanosomas, tênias, bacilos agem internamente assim são chamados de Endoparasitas.

Há parasitas que necessitam apenas de um único hospedeiro por toda sua vida, os denominamos de Monogenéticos é o caso do Ascaris lumbricoides.

Há parasitas que quando jovens necessitam de um hospedeiro intermediário, quando adultos outros, é o caso das Taenias (porco/homem).


COMPETIÇÃO,   pode ser intra ou interespecifico, é a luta por algum componente ambiental que é insuficiente para mais de um ser vivo.

Os vegetais competem pela luz, água e nutrientes do solo, é o que acontece me florestas, arvores com copulas grandes impedem que a luz chegue ao solo, isto inibe o crescimento de arbustos.

Os animais podem competir pelo território, abrigos, alimentos e parceiros para reprodução.

O pesquisador russo Gause, observou que duas espécies competem entre si, como conseqüência uma delas cede o lugar a outra que desaparece ou emigra. Este fato é conhecido como “principio de exclusão competitiva de Gause”.


AMENSALISMO,   uma espécie dita inibidora, impede o crescimento da outra chamada Amensal, fenômeno também conhecida como Antibiose.

Certas raízes de vegetais secretam substancias tóxicas que eliminam outros vegetais ao seu redor.

Certos fungos produzem substancias antibióticas muito utilizadas na medicina.


ESCLAVAGISMO,   uma das espécies se aproveitam do trabalho da outra.

Algumas formigas se aproveitam do trabalho de alguns pulgões, os pulgões se alimentam de seiva elaborada das plantas, sobre as quais as atingem com suas trombas os vasos liberianos dos vegetais.

O excesso da seiva é eliminado pelo anus, algumas formigas levam pulgões ao formigueiro, cuidam de sua prole, e os põe a sugar raízes, utilizam o excesso de liquido que excretam.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.